Veja como a nova criptomoeda do Facebook pode mudar a forma como milhões de pessoas fazem compras online.

Para entender melhor as razões que levaram o Facebook a criar a sua própria criptomoeda, precisamos começar com o que hoje em dia é chamado de WeChat playbook, que é baseado em três princípios muito simples:

1) Seja atraente o suficiente para fazer com que os usuários tragam seu dinheiro para os aplicativos de mensagens (ou, mais genericamente, para o lugar onde as pessoas passam a maior parte do seu tempo);

2) Simplifique a maneira como as pessoas movimentam o seu dinheiro;

3) Crie mais e mais motivos para garantir que o dinheiro seja mantido dentro desses aplicativos, apesar do quão fácil é mandar esse dinheiro novamente para a sua conta bancária.

No início de 2014, o WeChat começou a oferecer aos seus usuários a possibilidade de enviar envelopes de dinheiro virtual diretamente pelos seus bate-papos. Em poucos meses, milhões de pessoas começaram a trazer o seu dinheiro para o WeChat. Embora todos pudessem sacar esse dinheiro a qualquer momento, a empresa rapidamente adicionou mais e mais motivos para manter o dinheiro dentro do aplicativo.

Logo ninguém mais estava tirando o seu dinheiro de lá. Hoje, mais de 1 bilhão de pessoas usam o WeChat em suas transações diárias, totalizando quase $ 12 trilhões de dólares em pagamentos por ano. Na China, o WeChat substituiu o dinheiro.

O Facebook possui as credenciais corretas para replicar a estratégia do WeChat? Sim, provavelmente. Mas por quê?

1) Os atraentes eventos que farão com que os usuários tragam seu dinheiro para o sistema da Libra são incontáveis: milhões de pessoas ainda precisam enviar dinheiro transfronteiriço e em diferentes moedas. Embora seja cada vez mais fácil fazê-lo a baixo custo, nenhum dos jogadores conseguiu se estabelecer como líder do jogo (tirando o WeChat na China).

Além disso,7 bilhão de pessoas ainda permanecem fora do sistema financeiro sem acesso a uma conta bancária tradicional, logo, são incapazes de realizar transações digitais. No entanto, 1 bilhão de pessoas possui um smartphone e cerca de metade possui acesso à internet.

2) A movimentação do dinheiro: a razão pela qual esse processo será simplificado é que a Libra é baseada em uma blockchain e isso impede que o Facebook se torne um banco tradicional (e tenha que cumprir as regulamentações dos sistemas financeiros tradicionais).

3) A certificação de que os usuários vão deixar o seu dinheiro em aplicativos do Facebook. No começo não será fácil: o Facebook deve garantir que o maior número possível de comerciantes aceite pagamentos por meio da sua moeda, além de criar uma rede que seja ampla o suficiente para permitir que as pessoas troquem dinheiro por Libra.

Desincentivar a conversão de Libra para dinheiro definirá o sucesso de todo o projeto e evitará o risco mais temido, ou seja, de que não haverá reservas suficientes em dólares para cobrir a quantidade de Libra em circulação (a nova moeda será totalmente financiada com depósitos bancários e tesouros de bancos centrais de alta qualidade).

como o Libra impactará o comércio eletrônico?

Então como a Libra vai impactar o e-commerce?

Se a Libra for bem-sucedida, poderá dar acesso ao comércio eletrônico a 500 milhões de pessoas que possuem um smartphone e uma conexão com a Internet, mas não têm acesso ao sistema bancário tradicional (o chamado não bancário). Com isso, o sistema Libra permitirá que essas pessoas realizem transações digitais pela primeira vez, tanto para negociar dinheiro em nível peer-to-peer quanto em compras online.

O processo de pagamento para o usuário final ainda não está muito claro, mas podemos imaginar uma experiência semelhante ao que acontece no WeChat: assim que o usuário decidir comprar um produto, basta um clique para confirmar a transação da sua carteira Libra para a do comerciante.

Do lado do comerciante, a Libra facilmente se tornará a moeda preferida para tudo relacionado a compras e transações que ocorram nos produtos do Facebook, como o check-out no Instagram, Facebook Marketplace ou as vendas que ocorrem por meio de aplicativos de mensagens como o Messenger e o WhatsApp.

Basta pensar que a sua carteira Libra estará a um clique de distância do anúncio de um anunciante. Isso levará a melhores taxas de conversão e maiores retornos de investimento para as empresas que apostam na rede de anúncios do Facebook.

E quem ganha dinheiro com isso, além da empresa de publicidade? A empresa que vende o espaço publicitário! O Facebook provavelmente verá os investimentos dos anunciantes crescerem significativamente ao longo do tempo e, juntamente com seus parceiros, verá lucros significativos sobre o dinheiro depositado por seus usuários no mundo real

Como os comerciantes poderão receber pagamentos em Libra?

Todas as empresas terão que se unir à rede Libra para poder receber pagamentos através da moeda. O Facebook ainda não divulgou informações específicas sobre esse processo, mas podemos prever que será possível criar uma carteira Libra que permitirá a qualquer empresa coletar pagamentos dos vários canais conectados à rede, especialmente através dos principais aplicativos de mensagens de propriedade do Facebook.

Como a comunicação com o cliente está se tornando cada vez mais fragmentada, a introdução do Libra pode ajudar os aplicativos de mensagens a desempenhar um papel cada vez mais central e assumir o e-mail como principal canal de comunicação entre empresas e consumidores.

Na Callbell, onde ajudamos mais de 1.500 empresas a se comunicar, apoiar e vender através de aplicativos de mensagens, nós já estamos investigando como esse método de pagamento pode ser integrado na nossa solução. Além de facilitar a comunicação com o cliente por meio do aplicativo de mensagens, nosso objetivo será facilitar as transações entre nossos usuários e seus clientes através do Messenger e do WhatsApp, planejando liberar a integração entre a Callbell e a Libra assim que a documentação for divulgada no primeiro semestre de 2020.

Há um número incrível de empresas por aí que podem explorar o potencial da Libra, nós não podemos esperar para descobrir como essa tecnologia pode ser alavancada para moldar o futuro do e-commerce.

Como os comerciantes poderão receber pagamentos em Libra? | Libra para ecommerce
964aef37cbd523c1a8d2250157bf3829?s=100&d=mm&r=g - Como a Libra vai mudar o futuro do e-commerce

Sobre o autor: Olá! Eu sou Alan e sou o gerente do marketing da Callbell. a primeira plataforma de comunicação projetada para ajudar as equipes de vendas e suporte a colaborar e se comunicar com os clientes por meio de aplicativos de mensagens diretas, como WhatsApp, Messenger, Telegram e (em breve) Instagram Direct